Federação Saudita suspende árbitro al Mirdasi de forma vitalícia

Mundial'2018 Árbitro suspenso de forma vitalícia

Dirigentes da Federação da Arábia Saudita (SAFF) baniram o árbitro Fahad Al-Mirdasi do futebol pelo resto da vida, dois meses após ele ser anunciado como um dos 36 juízes escalados para apitar os 64 jogos da competição.

Por meio de um comunicado, a SAFF informou que Al Mirdasi confessou ter agido de forma ilegal com o objetivo de beneficiar o clube Al Ittihad contra o Al Faisaly na final da Copa do Rei da Arábia Saudita, realizada no último final de semana, quando acabou sendo substituído como juiz do confronto algumas horas antes da realização da partida.

- Na noite de 11 de maio de 2018, Al Mirdasi procurou por mensagem de texto um funcionário ligado a um dos finalistas e solicitou dinheiro corrupto em troca de ajuda na decisão.

O árbitro de 32 anos de idade solicitou o pagamento de suborno ao presidente do Al Ittihad, Hamad Al-Senai, o abordando por meio de mensagens de WhatsApp, mas o dirigente não cedeu à proposta do juiz e denunciou a sua atitude aos dirigentes da SAFF. Isso acontece às vésperas da data prevista para ele viajar à Rússia para apitar na Copa do Mundo. A polícia apreendeu seu celular quando ele foi preso - comentou a SAAF, a federação saudita de futebol, por meio de um comunicado.

A federação substituiu o árbitro da final de sábado, ganha pelo Itihad perante o Al Faisali (3-1). Entre eles, 16 asiáticos, seis deles árbitros: Alireza Faghani (Irã) Ravshan Irmatov (Uzbequistão) Mohammed Mohamed (Emirados Árabes) Ryuji Sato (Japão) Nawaf Shukralla (Bahrein), além de Fahad Al-Mirdasi.

Notícias relacionadas: