Sérgio Moro recebe o prêmio Personalidade do Ano

Homenageado em Nova York, Moro posa ao lado de João Doria

Não é a primeira vez que Moro faz pose ao lado de um tucano, deixando claro suas afinidades eletivas. Para o juiz federal, a democracia não está em risco no Brasil.

Essa percepção é demonstrada nas pesquisas. Na ocasião, Moro foi homenageado com o título de Brasileiro do Ano na Justiça. Apenas 6,1% consideram que age de forma igual.

"Os brasileiros de bem presentes a esse jantar promovido pela Câmara certamente estão aqui porque gostam de você [Moro] e apreciam o seu trabalho, exatamente o oposto daqueles brasileiros, que estavam lá fora falando impropérios e querendo destruir a reputação de um juiz com a dignidade e a grandeza de Sergio Moro".

O registro de Moro ao lado do político tucano abasteceu os críticos que consideram o juiz parcial na condução dos processos da Lava Jato no Paraná.

- São circunstâncias diferentes, estar em um evento do social e tirar uma foto, não significa nada, acho uma bobagem isso - disse ele, ao ser questionado sobre a foto. Vara Federal em Curitiba, uma outra alusão ao número do PT.

O prêmio é concedido a um seleto rol de personalidades. Chamou o juiz de "herói nacional", pediu "salvas de palmas de todos em pé" e disse que este é o "Brasil dos homens de bem".

Moro fez algumas brincadeiras no início de sua palestra promovida em Nova York pelo Grupo Lide, empresa fundada pelo pré-candidato ao governo de São Paulo e ex-prefeito da capital João Doria (PSDB). Aproveitou para aconselhar os empresários para não cair nas armadilhas dos políticos e que "a Lava Jato é uma prova de vigor da democracia". "O setor privado tem grande responsabilidade em relação ao combate à corrupção", destacou. Além do juiz, Marun também falará no mesmo encontro. "Apesar de dois impeachments presidenciais e um ex-presidente preso. não houve e não há sinais de ruptura democrática", afirmou, em referência a Fernando Collor, Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva.

Notícias relacionadas: