Processo disciplinar instaurado a Bruno de Carvalho — Crise no Sporting

Da Esquerda à Direita políticos reagem a dia negro vivido em Alcochete

Esta manhã, antes de chegar a Alvalade, o presidente da Assembleia Geral, Jaime Marta Soares, tinha afirmado à SIC que iria entregar ao Conselho Fiscal, com caráter de urgência, uma proposta para instaurar um processo disciplinar a Bruno de Carvalho. Caso mais dois elementos de demitam, Bruno de Carvalho é obrigado a apresentar a demissão.

A TVI 24 noticia que o vogal da direcção leonina Luís Loureiro e os suplentes Rita Matos e Jorge Sanches já manifestaram vontade de se demitir dos respectivos cargos.

Numa nota pessoal enviada à Lusa esta quinta-feira, Bruno Carvalho fez saber que não equaciona pedir a demissão e que vai processar várias figuras que criticaram nos últimos dias.

"Tendo em conta os superiores interesses do Sporting Clube de Portugal, que são e sempre foram a nossa maior preocupação, apelamos a que o presidente e os restantes membros do Conselho Diretivo apresentem a sua renúncia ao cargo de forma a permitir a marcação imediata de eleições", lê-se num comunicado enviado à agência Lusa.

"Na próxima segunda-feira, após o jogo da Taça de Portugal, depois de serenarem todas essas situações e depois daquilo que eu acredito que será uma vitória esclarecedora, vou convidar ou convocar, se for caso disso, todos os órgãos sociais para analisarmos em conjunto o momento que o Sporting está a viver e, a partir daí, tomarmos as decisões consentâneas com esta realidade", referiu.

Os responsáveis demissionários indicam que têm "acompanhado com preocupação os factos ocorridos e que em nada dignificam a história, a imagem e os interesses do Sporting".

"Estatutariamente, a resolução passará sempre por uma de três situações: renúncia ao cargo por parte do presidente do Conselho Diretivo, renúncia ao cargo por parte da maioria dos membros do Conselho Diretivo ou convocação de uma Assembleia Geral para a revogação do mandato", lembram.

Entre os comentários, houve quem exigisse a demissão de Bruno e outros achassem que deveriam ser pedidas desculpas aos jogadores, equipa técnica e adeptos.

Vários funcionários do clube de Alvalade estão, nesta altura, detidos.

Notícias relacionadas: