Atuação dos corretores e combate à exploração sexual são destaques na ALMS

Pesquisa mostra pontos de exploração sexual em rodovias de Goiás

Segundo a PRF, desde 2005, quase cinco mil crianças e adolescentes foram resgatados em situações de abuso ou exploração sexual nas rodovias federais. A cerimônia aconteceu no auditório Farroupilha, no Centro de Eventos Ari José Riedi, com apresentações culturais.

É organizado pela Secretaria de Assistência Social, em parceria com os Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA - e de Assistência Social - CMAS - Conselho Municipal.

Os vereadores Marlon Zanella (MDB), Bruno Delgado (PMB), Dirceu Zanatta (MDB) e Professora Marisa e Professora Silvana, ambas do PTB, participaram do lançamento da Campanha de Combate à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes de Sorriso. Serão realizadas palestras, panfletagem nas rodovias e junto aos postos da Polícia Rodoviária Federal, divulgando o canal gratuito para denúncias de abusos e maus tratos a crianças e adolescentes (o Disque 100), além de adesivagem dos veículos da Celesc que transitam por todo estado e sensibilização dos motoristas, que são os principais olhos dessa causa, tendo em vista que a maioria dos casos ocorre nas estradas.

A semana foi criada com o objetivo de mobilizar a sociedade brasileira e convocá-la para o engajamento contra a violação dos direitos sexuais de crianças e adolescentes.

Dessa forma, buscando superar mitos, tabus e preconceitos oferecendo segurança para que possam se reconhecer como pessoa em desenvolvimento e se envolver coletivamente na defesa, garantia, e promoção dos seus direitos, queremos convocar a todos - família, escola, sociedade civil, governos, instituições de atendimento, igrejas, templos, mídia - para assumirem o compromisso no enfrentamento da violência sexual, promovendo e se responsabilizando para com o desenvolvimento da sexualidade de crianças e adolescentes de forma digna, saudável e protegida.

Neste "18 de maio" FAÇAMOS BONITO na luta pelos direitos de crianças e adolescentes.

"Para isso, no decorrer deste ano, assim como fizemos no ano passado, estaremos fortalecendo mais ainda as ações de fortalecimento de vínculos sociais e familiares nas nossas unidades de Assistência Social", ressaltou Vera Helena. "A exploração sexual de crianças e adolescentes é um crime muito dinâmico, porque se você faz um enfrentamento, é possível que a prática migre, porque é uma questão enraizada na cultura". De janeiro a abril de 2018, o órgão já contabilizou 144 casos.

"Somos felizes porque temos gente do bem em nossa Três Lagoas, gente competente e de boa vontade, que se dedica a ações de proteção de nossas crianças e adolescentes".

Notícias relacionadas: