Ebola matou 19 pessoas na República do Congo

OMS envia equipes ao Congo para combater epidemia de ebola

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recebeu 4 mil doses de uma vacina experimental para ebola e estava preparando o envio para o país; disse o diretor da OMS para a África, Matshidiso Moeti; por telefone à agência inglesa de notícias Reuters no domingo.

- Autoridades sanitárias da República Democrática (RD) do Congo confirmaram neste domingo que três pessoas, entre elas duas enfermeiras, morreram com sintomas aparentes de ebola em Bikoro e Iboko, as duas regiões do noroeste do país onde foi declarado um surto da doença esta semana, com dois casos confirmados.

Em cinco semanas, há 34 casos suspeitos e dois confirmados.

O último registro suspeito de ebola foi na última sexta-feira (11), na província de Equateur.

Tedros Adhanom se reuniu ontem à noite em Kinshasa com o ministro da Saúde congolês, Oly Ilunga, para conhecer a situação na região depois que este último a visitou durante o dia de ontem. "Tudo está pronto para ser usado". A vacina está em fase experimental, sem licença e o risco de efeitos secundários é elevado, por isso precisa de autorização dos governos para poder ser usada.

Segundo esta abordagem, quando um novo caso de ebola é diagnosticado todas as pessoas; com quem os infectados podem ter tido contato recente são rastreadas e vacinadas para se tentar evitar a disseminação da doença.

É o nono surto de ebola que atinge a República Democrática do Congo desde a descoberta do vírus no país em 1976, quando ainda se chamava Zaire.

A entidade também informou que 393 pessoas identificadas como contatos de pacientes com ebola estão sendo monitoradas.

Notícias relacionadas: