Estado Islâmico reivindica atentados bombistas a três igrejas na Indonésia

Atentados em igrejas deixam 9 mortos e ao menos 40 feridos na Indonésia

Pelo menos seis pessoas morreram, entre elas um terrorista suicida, e outras 35 ficaram feridas em três atentados com explosivos contra igrejas cristãs ocorridas neste domingo na cidade indonésia de Surabaia, segundo fontes da Polícia local. E as minorias religiosas no país, especialmente os cristãos, têm sido alvo de ataques. A ação teve como alvos uma igreja cristã, uma protestante e uma pentecostal Os artefatos teriam sido explodidos em um curto intervalo de tempo, informou a polícia.

A província de Java oriental, cuja capital é Surabaya, tornou-se nos últimos anos um dos palcos de ataques de movimentos extremistas islâmicos.

O chefe de polícia local, David Triyo Prasojo, afirmou ainda que o esquadrão de bombas impediu a detonação de outra bomba na igreja de Diponegoro.

As autoridades também estão investigando se houve uma explosão em uma quarta igreja.

Duas das maiores organizações muçulmanas da Indonésia, Nahdlatul Ulama e Muhammadiyah, também condenaram os ataques.

Nenhum grupo terrorista reivindicou a autoria do atentado até o momento, mas a polícia suspeita que o Estado Islâmico esteja por trás do ataque.

Acrescentou que o pai fez explodir um carro bomba, dois filhos, de 18 e 16 anos, usaram uma mota num dos ataques, enquanto a mãe estava com duas crianças de 12 e nove anos na terceira igreja. Estima-se que o grupo reúna centenas de simpatizantes do Estado Islâmico na Indonésia.

"Verificaram-se três ataques contra três igrejas", disse o porta-voz da polícia, Frans Barung Magera.

Os cristãos, muitos deles da etnia minoritária chinesa, representam cerca de 9% da população da Indonésia, que atinge 260 milhões de habitantes, enquanto os muçulmanos são 88% do total.

Notícias relacionadas: