Doenças República Democrática do Congo confirma dois casos de infecção pelo Ébola

República Democrática do Congo enfrenta nova epidemia de ebola

O governo da República Democrática do Congo declarou um novo surto do vírus ebola após testes confirmarem duas suspeitas.

Esta é a nona vez que se registam casos de ébola na República Democrática do Congo, cujo rio Ébola, deu nome ao vírus depois de ter sido descoberto na década de 1970.

O Ministério da Saúde do Congo disse que 17 pessoas morreram por decorrência do ebola e o novo surto é uma "emergência de saúde pública com impacto internacional".

"Vamos mobilizar os nossos recursos humanos bem preparados que conseguiram controlar rapidamente anteriores epidemias", adiantam as autoridades.

Acredita-se que o ebola seja transmitido por longas distâncias por meio de morcegos, que podem hospedar o vírus sem morrer e infectar outros animais com os quais compartilham copas de árvores, como macacos.

"Desde a notificação dos casos em 3 de maio, nenhuma morte havia sido registrada entre os pacientes internados ou entre os profissionais de saúde", informou o comunicado.

"Nossa prioridade é chegar a Bikoro para trabalhar ao lado do governo da República Democrática do Congo e parceiros para reduzir a perda de vidas e sofrimentos relacionados a este novo surto da doença pelo vírus Ebola", afirmou Peter Salama, diretor-adjunto da OMS.

A última epidemia de ebola na República Democrática do Congo remonta a 2017. Uma equipe do Ministério da Saúde, apoiada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e por Médicos Sem Fronteiras, visitou a cidade de Bikoro, epicentro da epidemia. A epidemia recente mais notável da doença foi a que atingiu toda África Ocidental entre o final de 2013 e 2016 e causou a morte de cerca de 11,3 milhões de pessoas dos 29 mil casos notificados. "Trabalhar com parceiros e responder cedo e de forma coordenada será vital para conter essa doença mortal", completou.

Notícias relacionadas: