Salah Abdeslam condenado a 20 anos por tentativa de homicídio

Salah Abdeslam condenado a 20 anos de prisão na Bélgica

Essa é a pena máxima no sistema belga. O seu julgamento em relação aos atentados de Paris só deverá arrancar em 2019. Abdeslam está a ser julgado na Bélgica juntamente com o alegado cúmplice Sofiane Ayari, de 24 anos, por um caso paralelo.

As autoridades belgas e francesas dizem que Abdeslam, 28, participou dos ataques de novembro de 2015 em Paris, mas conseguiu fugir dali para a Bélgica.

Ele foi descoberto de maneira acidental durante uma visita de rotina da polícia a um apartamento supostamente vazio. O caso se refere a um tiroteio ocorrido em Bruxelas em 15 de março de 2016, que terminou com três policiais feridos, informa a Reuters. Foi detido dias depois.

Quatro dias depois da sua detenção, bombistas suicidas fizeram-se explodir no aeroporto de Bruxelas e no metro da cidade, causando 32 vítimas mortais. O ato foi entendido como revide. Seus advogados não contestam que Abdeslam esteve em Paris durante os ataques.

A 5 de fevereiro, durante a primeira sessão do julgamento, Abdeslam recusou mesmo levantar-se no início do interrogatório perante a juíza que preside à sessão, e anunciou desde logo que não iria responder a quaisquer questões, delegando a sua defesa no seu advogado.

Filho de pais marroquinos, Salah Abdeslam é o recluso mais vigiado em França, onde se encontra detido no estabelecimento prisional de Fleury-Mérogis, a sul de Paris. Eles se uniram a uma rede terrorista ligada ao Estado Islâmico, que àquela época ocupava extensas porções dos territórios da Síria e do Iraque.

O juiz deste caso considera que "não há qualquer dúvida" sobre a radicalização dos dois homens. "Sua intenção é clara pela natureza das armas que usaram, pelo número de balas que dispararam e pelo tipo de ferimentos causados aos policiais", afirmou.

Notícias relacionadas: