Alemanha. SPD escolhe mulher para a liderança

Partido Social-Democrata alemão elege primeira líder mulher

O Partido Social-Democrata (SPD) elegeu uma mulher como sua líder.

"Hoje, aqui, vamos romper um teto de vidro", afirmou Nahles, em um vibrante discurso perante os 600 delegados, em alusão ao fato de o SPD se dispor a colocar pela primeira vez em sua história uma mulher na chefia.

A política recordou o difícil caminho percorrido pelo partido até aceitar entrar numa nova grande coligação com a chanceler Angela Merkel desde a queda do partido nas últimas eleições, em que obteve um mínimo histórico de 20,5%.

Schulz renunciou em fevereiro à presidência do SPD, no meio de fortes pressões internas, num partido com 154 anos e que precisa de renovar-se para enfrentar a quebra do apoio do eleitorado que tem acontecido nas últimas duas décadas.

Andrea Nahles era a actual líder da bancada parlamentar, mas já desempenhou funções executivas, tendo sido ministra do Trabalho no anterior Governo alemão.

O resultado contrasta com os 100% conseguidos um ano atrás por Schulz, o que é explicado em parte porque desta vez havia uma candidatura alternativa, da prefeita de Flensburg (norte), Simone Lange, que obteve 172 votos. Apesar de ter tido 66% dos votos, segundo a Reuters a responsável terá tido a segunda pior votação de um líder desde o pós-guerra.

Notícias relacionadas: