MTST e Povo Sem Medo ocupam triplex atribuído a Lula no Guarujá

Sem-teto invadem tríplex em Guarujá em protesto contra prisão de Lula

Guilherme Boulos, dono do MTST, mandou ocupar o triplex de Lula na Guarujá e disse que, se o imóvel realmente pertence ao criminoso condenado pela Lava Jato, "o povo pode ficar lá".

"É uma denúncia da farsa judicial que levou Lula à prisão".

O senador Lindbergh Farias (do partido de Lula, o PT) publicou um vídeo no qual manifestantes entoam palavras de ordem e cantam "pisa ligeiro, pisa ligeiro, quem não pode com a formiga não atiça o formigueiro". "Se não é, por que ele está preso?", explica o manifestante do MTST, Josué Rocha.

Segundo a "Folha de S.Paulo", cerca de 30 militantes do MTST pularam as grades do prédio e subiram 16 lances de escada, até o tríplex. Cerca de cem pessoas, divididas em 20 carros, chegaram ao edifício Solaris de madrugada para o ato.

Os manifestantes colocaram uma grande faixa do movimento na varanda do tríplex, que é virada para a fachada no prédio. Segundo a Justiça Federal do Paraná, onde correu o processo contra Lula, caso fosse necessário ingressar com ação judicial para reaver o imóvel, o pedido caberia ao leiloeiro, uma vez que ele é o fiel depositário do imóvel.

Um representante do condomínio bateu na porta, que está travada por um pedaço de madeira, e perguntou se os militantes tinham ciência de que estavam cometendo um crime. Depois de mais de duas horas de ocupação, o movimento aceitou deixar o apartamento. A Polícia Militar está no local.

No protesto que antecedeu a prisão do petista, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, Boulos foi uma das lideranças que ajudaram a mobilizar a militância junto com outros movimentos sociais e sindicais. O ex-presidente e a ex-primeira dama Marisa Letícia compraram uma unidade no edifício em 2005, de valor menor que o tríplex.

Um dia depois, Lurian, a filha de Lula, discursou para integrantes do MTST, agradeceu o apoio e disse que Boulos era como "um filho" para Lula.

Notícias relacionadas: