Audiência nesta segunda-feira pode liberar Scarpa do Fluminense | Palmeiras

Fluminense

Gustavo Scarpa esteve presente na audiência, que durou cerca de 50 minutos e correu em segredo de justiça a pedido de seus advogados - por isso não teve acesso à imprensa permitido. Assim, o jogador de 24 anos segue vinculado ao Fluminense e não pode defender o Palmeiras. Nesta segunda-feira, dia 16, as partes estiveram reunidas em audiência no Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ).

A juíza Dalva Macedo, que analisa o caso e foi responsável por derrubar a liminar que permitiu que o meia acertasse com o Palmeiras, deu prazo de dez dias para que Scarpa e seus representantes e o Fluminense apresentem suas considerações finais.

Gustavo Scarpa ainda é jogador do Fluminense.

Até lá, a juíza vetou o pedido do atleta de que seu contrato com o Palmeiras voltasse a valer.

A expectativa do estafe de Scarpa é que o parecer seja favorável, ou seja, que o vínculo com a equipe carioca volte a ser considerado inválido em função de uma dívida trabalhista que chegou a ser superior a R$ 9 milhões. "Nós ouvimos o depoimento do atleta para confirmar que o Fluminense estava desde dezembro acordado para quitar tudo em janeiro, como acabou acontecendo", disse o advogado do tricolor. "Mas ele optou por não se reapresentar ao trabalho, o que é uma faculdade legal dele, então é por isso que ele não está jogando", explicou Rui. Um dia depois, porém, o atleta entrou com um mandado de segurança em segunda instância e conseguiu se desvinvular do time carioca. Em março, contudo, a decisão de caráter liminar foi cassada pelo TRT, fazendo com que o antigo vínculo fosse retomado.

Sem jogar desde o dia 11 de março, quando marcou dois gols pelo Palmeiras contra o Ituano no Campeonato Paulista, Scarpa tem treinado em uma academia no interior de São Paulo.

Notícias relacionadas: