Manifestantes mantêm acampamento em apoio a Lula em Curitiba

Manifestantes mantêm acampamento em apoio a Lula em Curitiba

O acampamento "Vigília democrática Lula Livre" tem recebido a visita de diversas lideranças políticas, como da presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann, e da ex-ministra Eleonora Menecucci e artistas e tem como lema não deixar o local sem Lula, que foi preso após um mandado ilegal de Sergio Moro. "Um absurdo jurídico. Trata-se de tentar cercear o livre direito a manifestação". No despacho, o juiz substituto da 3ª Vara da Fazenda Pública, Jailton Carlos Tontini, diz que os manifestantes pró e contra Lula, estão descumprindo uma ordem liminar do último dia 8, que determinava que os acampados não impedissem o trânsito de pessoas na área e nem montassem acampamentos ou estruturas semelhantes na proximidades da Polícia Federal. "O presidente Lula foi preso de forma injusta em um processo viciado e cheio falhas".

Desde o último sábado (7), quando Lula foi preso na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, centenas de manifestantes mantêm um acampamento em defesa do ex-presidente e contra a sua prisão política. "Lidera todas as pesquisas de intenção de voto", afirma. Para a petista, a situação demostra uma "vergonhosa escalada de perseguição contra Lula".

No texto divulgado pelo Comitê, o presidente da CUT, Vagner Freitas, afirma que a decisão da Justiça é "antidemocrática". Conforme a organização do movimento, mais de sete mil pessoas já passaram pelo local.

Notícias relacionadas: