"Deixei claro a Roberto Teixeira que Palocci tinha de autorizar" — Marcelo Odebrecht

Moro recebe Marcelo Odebrecht para falar sobre 2º sentença de Lula

Ao ser questionado pela defesa de Lula na audiência, segundo reportagem da Folha, Odebrecht falou: "Quanto mais eu vou [rever arquivos], mais complica a vida dele".

O acesso deverá ser dado até o próximo dia 24, e a defesa pode selecionar novos conteúdos a ser anexados ao processo até o dia 30 deste mês.

O petista foi ouvido neste processo em setembro passado. "Isso é cerceamento de defesa". A Polícia Federal havia permitido acesso apenas às mensagens, mas não ao restante do conteúdo do notebook do empresário.

- Há perguntas para o Sr. "Eu não tenho perguntas porque não tive acesso à integralidade dos documentos", o que irritou Moro.

- Eu acho que é um pouco brincadeira da defesa. (.) A defesa apresenta uma petição com questões escritas dirigidas ao senhor Marcelo Odebrecht, pedindo que sejam respondidas.

O empresário Marcelo Odebrecht, dono da maior empreiteira do Brasil, resolveu se manifestar, em relação a um inquérito em que o mesmo responde, juntamente com ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com a BBC, além do tríplex no Guarujá, que levou Lula ao cárcere no último sábado (07), a Odebrecht também teria comprado um terreno para a futura sede do Instituto Lula, localizado também em São Paulo.

A audiência ocorreu dentro do processo em que Lula é acusado de receber propina da Odebrecht por meio da compra de um terreno para o Instituto Lula, em São Paulo. "Aí fui novamente pedir autorização a Palocci, deixando bem claro ao advogado, a Roberto Teixeira, que eu tinha de ter autorização de Palocci para bancar esses custos, porque esses custos iam sair da planilha Italiano".

Notícias relacionadas: