Produção brasileira de grãos atingirá 229,5 milhões de t em 2017/18

Produção brasileira de grãos atingirá 229,5 milhões de t em 2017/18

Os números fazem parte do 7º Levantamento da Safra de Grãos 2017/2018, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgados nesta terça-feira, 10.

A produção brasileira de grãos na safra 2017/18 deverá alcançar 229,53 milhões de toneladas, o que corresponde a uma queda de 3,4% em comparação com a safra recorde do período anterior 2016/17, que foi de 237,67 milhões de toneladas.

"A soja é a maior responsável pelo desempenho exemplar da produção", afirmou a Conab, em relatório, prevendo rendimento de 3,27 toneladas por hectare, acima das 3,22 t/ha de março.

A produtividade recorde da safra passada foi beneficiada por um excelente clima, o que não se repetiu agora, mesmo com a situação climática considerada boa na maioria das regiões produtoras. A oleaginosa deve alcançar 114,9 milhões de toneladas, contra 113 milhões de toneladas da estimativa de março. A produção da pluma deve sair de 1,5 milhão de toneladas no ano anterior para 1,8 milhões de toneladas, com incremento de 21,8% na safra.

"Apesar desse resultado ser 3,4% menor que o da última safra, o Brasil deve colher a segunda maior safra da história", diz a Conab. Com essa projeção, a colheita do carro-chefe do agronegócio nacional passou a ser prevista em 114,96 milhões de toneladas, 1,71% mais que no mês passado e 0,8% superior à de 2016/17.

A companhia espera, agora, uma colheita de 229,53 milhões de toneladas de grãos e oleaginosas em 2017/18, ante 226,03 milhões na previsão de março. Já a segunda safra pode chegar em 63,01 milhões de toneladas, contra 67,3 milhões de toneladas do ano passado. A terceira safra da leguminosa está projetada em 812,4 mil t, queda de 3% ante o período anterior (837,7 mil t).

Levantamento do IBGE aponta recuo de 4,7%.

As culturas de soja e milho primeira safra estão em fase final de colheita. A área estimada sinaliza um aumento de 0,8% comparado ao período anterior, atingindo 61,38 milhões de hectares. O feijão segunda safra também obteve bom desempenho e deve colher 1,29 milhão de toneladas, com aumento de 7,3%.

A Conab elevou sua estimativa de produção total de milho para 88,61 milhões de toneladas, ante 87,3 milhões em março, mas ainda aquém das quase 100 milhões do ano passado. Na ordem crescente de ganho absoluto da área plantada, vem primeiro a soja com 1,2 milhão de hectares, em seguida o algodão (205,6 mil ha) e o feijão segunda safra (115,4 mil ha), com destaque para a espécie caupi.

Notícias relacionadas: