Mário Centeno responde a ministro da Saúde: "Somos todos Adalberto"

Centeno “Não vamos colocar em risco” sucesso da economia

A deputada do CDS, Isabel Galriça Neto, interpelou hoje o ministro Mário Centeno no parlamento sobre o que considera como subfinanciamento nesta área, destacando os pagamentos em atraso por parte dos hospitais EPE.

Mário Centeno está há mais de quatro horas numa audição conjunta das comissões de Saúde e das Finanças, solicitada pelo CDS e o PSD, sobre o setor da saúde, em que várias vezes foi criticado por alegadamente cativar as verbas para o setor e ser muitas vezes considerado o ministro da Saúde.

Numa pergunta entretanto entregue na Assembleia da República e que tem como destinatário o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, os sociais-democratas questionam diretamente se o Governo tem conhecimento das condições em que estão a ser realizados os tratamentos de quimioterapia pediátricos no Centro Hospitalar de São João.

Ministro das Finanças defende que o orçamento da Saúde foi o mais reforçado nos últimos anos.

A comissão parlamentar de Saúde recebe hoje o ministro das Finanças pelas 10:30, e deverá em breve ouvir a administração do Hospital de São João, tendo na terça-feira o PSD adiantado que pretende também chamar ao parlamento os responsáveis pela gestão do hospital.

O ministro das Finanças revelou ainda que em três anos entraram para o Serviço Nacional de Saúde (SNS) 8.480 trabalhadores, um aumento de 7,6%.

Em resposta às questões dos pagamentos por parte dos hospitais aos fornecedores, Centeno indicou que 98% de todas as facturas identificadas ao abrigo da regulação de pagamentos em atraso no SNS foram pagas até ao início deste mês.

A deputada Sara Madruga da Costa questionou Mário Centeno sobre o financiamento do novo hospital, dizendo que "já todos percebemos que quando este Governo da República não quer resolver um problema, cria um grupo de trabalho".

O secretário de Estado adjunto da Saúde disse recentemente que os 22 milhões de euros do Governo para as obras da Unidade pediátrica já tinham sido transferidos, aguardando apenas a autorização do Ministério das Finanças.

Notícias relacionadas: