Manuela D'Ávila se irrita com provocação de apoiador de Bolsonaro

O ex-presidente Lula com Manuela D'Ávila no Circo Voador no Rio de Janeiro

Segundo a deputada, o homem era simpatizante do deputado e pré-candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL).

Nas redes sociais, Manuela D'Ávila conta que após a provocação o homem foi para uma área restrita à polícia.

A parlamentar pede que o sujeito seja identificado, já que imagens gravadas minutos antes da agressão comprovam que ele conversava com agentes da polícia.

Pré-candidata à presidência, Manoela disse que o fato representa uma ameaça à segurança do ex-presidente. A preocupação, disse, é que ele possa ser um agente da PF, pois teria sido escoltado pela PM para dentro do prédio da Polícia Federal depois do episódio. Ele está aqui dentro, come aqui. "O meu problema é saber quem é o agressor, como ele tem trânsito livre e entra na PF". "Se a polícia não esclarecer, vai caber a mim a interpretação dos fatos", disse a deputada. O texto é assinado pela presidente da sigla, deputada federal Luciana Santos (PE), e pela pré-candidata à Presidência da República, Manuela D'Ávila, e foi divulgado na noite de sábado. A força policial, no lugar de detê-lo, levou-o para dentro da sede da Polícia Federal, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encontra-se preso, há 72 horas. Os manifestantes contrários ao ex-presidente não foram atacados.

Também presente na entrevista à rádio, o ex-ministro da Defesa, Celso Amorim, ressaltou a declaração dada pelo atual ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, em Portugal, dizendo que a prisão de Lula seria uma mancha para o Brasil no exterior. Pessoas de diferentes estados -como Maranhão, Pernambuco, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo- já estão no local, e caravanas de outras regiões devem chegar nos próximos dias.

Notícias relacionadas: