Lula não vai ter privilégio em visitas diz Sérgio Moro

'Sereno mais indignado', diz advogado

"Nenhum outro privilégio foi concedido, inclusive sem privilégios quanto a visitações, aplicando-se o regime geral de visitas da carceragem da Polícia Federal, a fim de não inviabilizar o adequado funcionamento da repartição pública, também não se justificando novos privilégios em relação aos demais condenados", afirmou Moro, em despacho do final da tarde de segunda-feira.

O comentário integra a ficha do petista, enviada à 12ª Vara Federal, para início do processo de execução penal.

Amigos e assessores de Lula manifestam preocupação com a possibilidade de o ex-presidente vir a sentir algum sintoma de depressão nos próximos dias. Lula também tem direito a banho de sol diário de duas horas.

O petista chegou a Curitiba na noite do último sábado (7) e foi levado de helicóptero para a Superintendência da Polícia Federal na capital paranaense, onde vai começar a cumprir a pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. O juiz da Lava Jato determinou que, inicialmente, ele permaneça em uma sala separada da carceragem.

A decisão do juiz ocorre às vésperas da visita prevista que 10 governadores de Estado pretendem fazer a Lula nesta terça-feira em Curitiba.

Na madrugada de quinta-feira, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou um 'habeas corpus' apresentado pela defesa de Lula da Silva, que visava evitar a sua prisão antes de se esgotarem os recursos na Justiça. Tem ainda o fato de que por causa da idade, depois de alguns poucos anos, o ex-presidente poderia alegar problemas de saúde e conseguir sair da cadeia para se tratar, ficando no hospital ou até mesmo em casa. Os advogados do petista estão trabalhando para tirá-lo de lá o quanto antes, mas por enquanto, nenhuma novidade.

Notícias relacionadas: