Lula da Silva considera mandado de prisão absurdo

SEBASTIAO MOREIRA

Isso porque Lula "encabeçava as preferências de voto para as eleições presidenciais de outubro". A partir daí teve início a ação penal. O juiz-mor da Lava-Jato foi o autor da desastrada condução coercitiva de Lula. Ainda não se sabe se o ex-presidente se entregará, a estratégia está sendo discutida desde ontem entre o político, aliados e advogados. As gravações acabaram anuladas como prova. Lula foi condenado por ter recebido um apartamento de luxo como suborno da construtora OAS em troca de favorecer contratos com a petrolífera estatal Petrobras. Ele foi chamado de "comandante máximo" do esquema de corrupção por procuradores da "Lava Jato".

O também americano "Washington Post" diz que a decisão do juiz Sergio Moro "mergulha o Brasil em 'caos político' antes de eleição presidencial" e "deve galvanizar protestos generalizados em um país já abalado por uma decisão do Supremo".

A ida do ex-presidente Lula para a cadeia já era dada como certa. A defesa reafirmou não haver nenhum documento a comprovar que a unidade seria de propriedade de Lula.

Lula criticou, de acordo com a "CBN", que Moro não aguardou o fim do julgamento do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e que haveria um recurso a ser julgado até o dia 9 de abril. Na apelação, os advogados argumentam que houve uma série de equívocos durante a tomada de depoimentos.

Lula deve ser levado até o aeroporto de helicóptero ou carro discreto da própria PF. Voará até o Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

A defesa do ex-presidente tentou evitar a prisão com um habeas corpus preventivo no Supremo Tribunal Federal (STF), pedindo para que a pena fosse cumprida somente após o trânsito em julgado da sentença. Os principais jornais estrangeiros destacam que o petista terá de se entregar até esta sexta-feira, 5, após decisão do juiz federal Sérgio Moro.

- 06/04/2018: Há protestos contra e a favor da decisão do Supremo.

O grupo vai se reunir, a partir das 19h, na Avenida Alfredo Pedro Carneiro, na Gávea, próximo ao Sindicato Rural de Muriaé (entrada de baixo do Parque de Exposições). A capa do jornal impresso dá como manchete principal a crise na Catalunha e, ao lado, a "máxima tensão" no Brasil, diante da ordem de prisão de Lula.

Da Redação com informações provenientes da Agência Brasil.

Notícias relacionadas: