Eunício Oliveira, presidente do Congresso, é o alvo de Fachin

Eunício Oliveira

A ação foi batizada pela PF de Operação Tira-teima e mira aliados do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE).

Os mandados estão sendo cumpridos em São Paulo, Goiânia e Fortaleza e não há ordem de prisão.

A finalidade da operação é buscar documentos e outros fatores de aprofundamento da investigação, considerando a notícia de doações de campanha abalizadas por meio de contratos fictícios. Melo afirmou ter repassado R$ 5 milhões para a campanha de Eunício Oliveira ao governo do Ceará nas eleições de 2014.

Em fevereiro deste ano, a Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou 12 perguntas para o Eunício Oliveira, após o senador cearense ser alvo de inquérito no Supremo, aberto em abril de 2017, que o investiga por supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Esse sobrinho seria Ricardo Lopes Augusto. Segundo a denúncia, os valores foram repassados por meio de contratos fictícios.

A assessoria de Eunício disse que, quando tiverem maiores detalhes sobre a operação da PF, deverão comentar.

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 10, a Operação Tira-Teima, que investiga pagamentos de vantagens indevidas, por partes de um grupo empresarial a políticos, para obter benefícios em medidas de interesse do grupo econômico.

Notícias relacionadas: