Proposta ao BNDES e ao grupo Votorantim

Proposta ao BNDES e ao grupo Votorantim

A proposta da Paper Excellence é extensiva à Votorantim por meio do direito de venda conjunta (tag along) previsto no Acordo de Acionistas celebrado entre BNDESpar e Votorantim, e considera também a consequente necessidade de realização de oferta pública de aquisição da totalidade das ações em circulação da Fibria, nos termos do Artigo 254-A da Lei 6.404/76.

O otimismo do mercado em relação à continuidade do ciclo de cortes da Selic, a tranquilidade no exterior e o noticiário corporativo agitado impulsionaram o Ibovespa nesta segunda-feira (12), fazendo com que o indicador encerrasse o dia perto dos 87 mil pontos.

O BNDESPar detém 29,08 da Fibria e a Votorantim, outros 29,42%.

Segundo fontes, os asiáticos querem ter uma fatia relevante, que não é necessariamente o controle.

A Fibria confirma que não é parte dessas negociações e não possui quaisquer informações adicionais. Hoje os ativos operam em leve baixa, perto de R$ 69. Isso porque os investidores já elevaram o valor de mercado das duas (Fibria + Suzano) em R$ 10,9 bilhões desde a metade de fevereiro. A publicação Infomoney adianta que os analistas calculam que uma aquisição por parte da Suzano criaria sinergias de 1,6 mil milhões de reais ao nível do EBITDA.

Na semana passada, a Suzano reiterou que estava em tratativas com acionistas controladores da Fibria para discutir uma fusão. Em um pessimista, cairia a R$ 11 bilhões. As duas empresas estariam nas discussões finais para assinar contrato.

Com a proposta, a Paper Excellence entra na disputa com a Suzano Papel e Celulose, que mantém suas negociações em andamento com BNDESPar e Votorantim. O preço-alvo para as ações da Suzano foi elevado para R$ 22 (de R$ 20) e para a Fibria a R$ 60 (de R$ 50).

Notícias relacionadas: