Lewandowski homologa delação de publicitário que trabalhou para Cabral e Pezão

Marqueteiro do PMDB descreve roteiro do caixa 2 em campanhas no RJ

Ricardo Lewandowski homologou hoje a delação de Renato Pereira -o marqueteiro de Sérgio Cabral, Luiz Fernando Pezão, Eduardo Paes e outras figuras do (P) MDB do Rio. No acordo de delação fechado com a Procuradoria-Geral da República, ele diz que era usual o pagamento de parte do valor das campanhas em caixa dois. As disputas eleitorais delatadas vão de 2010 a 2016.

Todos os citados na delação, procurados pela reportagem à época da divulgação do teor dos relatos, negaram ter participado de crimes ou irregularidades.

Para Lewandowski, o perdão de penas privativas de liberdade e a suspensão do prazo prescricional somente podem ser determinadas por meio de sentença judicial.

Na ocasião, o ministro também retirou o sigilo do acordo, sob a justificativa de que o seu teor vazara à imprensa, mas a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu para restabelecer o segredo a fim de proteger o delator e sua família de eventuais ameaças. Sua delação voltou para a PGR e foi reapresentada recentemente, com alguns ajustes.

Notícias relacionadas: