Funcionário americano que comentou destituição de Tillerson é demitido

O Secretário de Estado dos Estados Unidos Rex Tillerson

Em janeiro de 2017, mês em que tomou posse, Trump disse que "a tortura funciona", e sugeriu que os seus conselheiros de segurança estavam defendendo a volta de duros métodos de interrogatório.

Gina Haspel chegou a número dois da CIA em Fevereiro do ano passado, pela mão de Mike Pompeo, que tinha sido nomeado por Donald Trump para liderar a agência. Contactado em Addis Abeba pelos jornalistas norte-americanos para confirmar os rumores, Tillerson havia dito poucas horas antes do anúncio do acordo que ainda havia um "longo caminho a percorrer" para a realização de uma "eventual" cimeira entre os EUA e a Coreia do Norte."Alguns anúncios podem ser feitos sem o conhecimento prévio do secretário de Estado, enquanto outros não podem acontecer sem o seu conhecimento", disse a propósito e de forma enigmática, o porta-voz do Departamento de Estado, Steve Goldstein, citado pela imprensa norte-americana. Ele vai fazer um trabalho fantástico! Pompeo, se confirmado, será a primeira pessoa a comandar a principal agência de inteligência e a ocupar o principal cargo da diplomacia americana. Em nota enviada ao Post, Trump elogiou tanto Pompeo quanto Gina. Gina Haspel vai se tornar a nova diretora da CIA, e a primeira mulher escolhida para o cargo.

Trump e Tillerson, que não tinha nenhuma experiência diplomática ou política antes de se tornar secretário de Estado, discordaram diversas vezes sobre a política externa dos EUA, inclusive sobre a Coreia do Norte e a Rússia.

"Não ouvimos nada diretamente da Coreia do Norte, mas esperamos ouvir algo diretamente deles", afirmou Tillerson em Abuja durante uma entrevista coletiva conjunta com o ministro de Relações Exteriores nigeriano, Geoffrey Onyema.

"O secretário não falou com o presidente esta manhã e não tem conhecimento do motivo, mas ele está grato pela oportunidade de servir e ainda acredita piamente que o serviço público é uma vocação nobre e não se arrepende de nada", declarou.

Nesta terça-feira algumas autoridades de inteligência dos EUA disseram que relatos sobre seu suposto envolvimento em interrogatórios que incluíram tortura são falsos - mas não deram detalhes de imediato nem negaram sua implicação na destruição de vídeos de técnicas de interrogatório violentas. Pompeo já defendeu várias vezes romper o acordo nuclear com o Irã, em linha com a posição de Trump.

Na sexta-feira passada (9), Trump já havia pedido a saída de Tillerson, ordenando que ele regressasse de uma viagem à África. "Então, realmente, não estávamos pensando do mesmo jeito", completou.

"Desejamos tudo de bom ao secretário designado Pompeo", acrescentou em uma série de tuítes.

Tillerson é um dos muitos membros do governo Trump que deixou seu posto nos últimos 14 meses.

Notícias relacionadas: