Doria lança pré-candidatura ao governo de São Paulo

Doria anuncia pré-candidatura ao governo de São Paulo

O prefeito de São Paulo, João Doria, vai se inscrever como pré-candidato do PSDB ao governo estadual, nesta segunda-feira (12), no diretório do partido, localizado em Moema, Zona Sul da capital paulista. Doria enfrentará os tucanos José Aníbal, Floriano Pesaro e Luís Felipe d'Ávila.

Doria foi inscrito nas prévias por um grupo de parlamentares do partido, que contabilizaram 1.785 assinaturas de delegados estaduais da legenda em apoio à pré-candidatura do prefeito.

"Não é preciso aval do governador, é preciso aval do PSDB", disse Doria, quando perguntado se sua decisão em concorrer às prévias tinha apoio de Alckmin. Nos últimos dias, o prefeito tem sido atacado pelos adversários internos do PSDB pela pressão feita por seus aliados em torno de sua candidatura. Preciso do aval do PSDB.

No ato de apoio, militantes usavam uma camiseta com a inscrição "Dória governador", colocando um acento no nome do prefeito equivocadamente. "A vitória do PSDB em São Paulo é fundamental não para São Paulo, mas para o Brasil", disse.

Dois palanques. No discurso após assumir que é candidato ao Palácio dos Bandeirantes, Doria evitou rivalizar com o vice-governador Márcio França (PSB), que também é pré-candidato à sucessão de Geraldo Alckmin no Palácio dos Bandeirantes.

"Aceito essa condição. Vamos juntos para a vitória e contribuir para dar ao Brasil o presidente chamado Geraldo Alckmin", disse. No discurso, ele destacou que o "adversário do PSDB está fora do partido", mas garantiu que não é uma referência ao vice-governador. Não quero que meus filhos tenham ao fim de uma eleição, no segundo turno, uma disputa entre a extrema-direita e a extrema-esquerda.

O lançamento da candidatura de Doria teve as presenças do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Cauê Macris, do presidente estadual do PSDB, parlamentar Pedro Tobias, do deputado federal Ricardo Tripoli e dos prefeitos de Barueri, Rubens Furlan, de Itanhaém, Marco Aurélio, e de São Bernardo, Orlando Morando, além de vereadores. O prefeito da capital paulista enfatizou que o maior adversário é o PT.

Notícias relacionadas: