Novas placas padrão Mercosul serão adotadas a partir de 1º de setembro

Nova placa deve ser adotada até 2023

Para os outros casos, a nova placa deve ser implementada até dia 31 de dezembro de 2023 pelos órgãos de trânsito dos estados e do Distrito Federal.

Mas, afinal, o que são as "placas padrão Mercosul"? Além disso, ao invés de ter 3 letras e 4 números, como ocorre atualmente, as novas placas terão 4 letras e 3 números, que podem estar embaralhados. Por enquanto apenas Uruguai (desde março de 2015) e Argentina (abril de 2016) adotaram o novo sistema de identificação. A cor do fundo da placa vai ser branca, já das letras e números vai variar: veículos de passeio, a cor vai ser preta; veículos comerciais, vermelha; carros oficiais, azul; em teste, verde; diplomáticos, dourado; e de colecionadores, prateado.

Do lado esquerdo do acessório de identificação veicular constará a bandeira do Mercosul; no centro, o nome do país de origem; e do lado direito, a bandeira do país de origem. No caso do Brasil o padrão inicial será "LLL NL NN" para carros e "LLL NN LN" para motos.

Serão estampados em alto relevo sete caracteres alfanuméricos - sendo quatro letras e três números - com combinação aleatória a ser fornecida e controlada pelo Denatran, com o último caractere obrigatoriamente numeral e com distribuição equânime. No novo modelo, existente desde 2014, as placas passarão a ter três números e quatro letras.

Tinha a cor laranja e o nome do município vinha antes da sigla do estado. Além disso, contará com um chip e um código do tipo QR Code para facilitar a identificação dos veículos roubados ou clonados nos países do Mercosul.

A mudança também abrange reboques, semirreboques, motocicletas, triciclos, motonetas, ciclo elétricos, quadriciclos, ciclomotores e tratores destinados a puxar ou arrastar maquinaria de qualquer natureza ou a executar trabalhos agrícolas e de construção, de pavimentação ou guindastes, que se mantêm com a identificação de placas traseiras.

De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a nova resolução padroniza a produção das placas nacionalmente, o que pode diminuir seu valor de fabricação. No sistema atual a autorização é dada pelos Detran de cada Estado, o que gera diferenças de padrão entre uma unidade federativa e outra. Com a mudança, espera-se que as placas brasileiras se tornem uniformizadas.

Notícias relacionadas: