Renault inaugura fábrica na RMC

Bloco do motor 1.6 SCe que agora passa a ser fabrica pela Curitiba Injeção de Alumínio

Além da CIA, lá funcionam também as unidades produtivas de motores, veículos de passeio e comerciais leves. "This Inauguração E Mais uma Demonstração do Nosso Compromisso com o País", Afirma Luiz Pedrucci, presidente da Renault do Brasil. A meta da Renault é chegar a 10% de participação de mercado até 2020. Para definir um novo ciclo, precisamos de mais clareza para planejar os próximos anos e esperamos que o Rota 2030 traga essas definições. Apesar disso, ele acredita que os investimentos feitos no último ciclo dão uma boa cobertura à Renault do Brasil pelo menos até 2022. Do Brasil, vieram as linhas de acabamento do cabeçote e os fornos de fusão, de tratamento térmico e de pré-aquecimento. Segundo a Renault aproximadamente 100 profissionais já trabalham na unidade atualmente, em dois turnos. A nova planta é fruto de investimento de R$ 350 milhões e é responsável por nacionalizar o bloco e o cabeçote de alumínio do motor 1.6 SCe, lançado no fim de 2016 juntamente com a variação de um litro e que hoje está disponível para toda a gama da marca, exceto pelo Kwid, vendido apenas com motor de um litro.

A Injeção do Alumínio não Bloco E Feita de forma Totalmente robotizada, a Uma Velocidade de 200 km / h com pressao de 900 bar, Proxima À encontrada nenhuma Ponto Mais profundo dos Oceanos. Já a produção dos cabeçotes é composta por cinco etapas: fusão, sopro de machos de areia, injeção de baixa pressão, acabamento e tratamento térmico. É um processo inorgânico, ou seja, livre de emissão de carbono, também contribuindo para um ambiente mais limpo. O maquinário utilizado neste processo é 20% mais produtivo e 30% mais compacto que os da geração anterior.

Segundo o Executivo, os benefícios foram o diferimento do pagamento do ICMS da fatura de energia elétrica e do gás natural da fábrica de injeção de alumínio, pelo prazo de 48 meses.

O espaço é sustentável, com telhas translúcidas, que aproveitam a luz natural, e iluminação 100% LED. Entre OS destaques ESTÁ UM EQUIPAMENTO de tomografia Computadorizada industrial, Primeiro Deste porte em Uma Montadora na América do Sul. A máquina é capaz de fazer a análise das peças em três dimensões e é utilizada para controle de qualidade, pesquisa e desenvolvimento. O investimento é parte de um total de R$ 750 milhões, divididos entre a CIA e a ampliação da fábrica de motores no mesmo complexo Ayrton Senna - que recebeu os outros R$ 400 milhões e será inaugurada em breve.

No Brasil, a Renault possui 7.300 funcionários, 1.300 deles contratados no final de 2017, principalmente pela demanda crescente pelos modelos Kwid e Captur. A montadora também abriu um terceiro turno de trabalho. O motor 1.6 SCe equipa quase toda a linha da marca hoje no Brasil: Sandero, Logan, Duster e Captur. Em duas décadas, já são cerca de 2,8 milhões de veículos produzidos aqui, e as exportações batem a casa dos 700 mil, ou seja, cerca de 40% da produção.

Notícias relacionadas: