MPF pede transferência de Cabral do RJ para Curitiba

MPF pede transferência de Cabral do RJ para Curitiba

Já o juiz Sérgio Moro atendeu pedido do Ministério Público. Há resolução da Seap contra alimentos in natura. O mesmo órgão no Paraná, em um dos processos que Cabral responde no estado. citaram a existência de uma nova investigação que "poderá requerer a presença dele neste estado".

Entre as regalias que o ex-governador recebeu na prisão estão colchões de um padrão diferente de outros detentos, filtros de água, instrumentos de musculação de alto padrão e produtos como queijos, bolinho de bacalhau e uma farta quantidade de medicamentos, além da tentativa de instalação de um sistema de home theater e de uma videoteca, que funcionariam como um cinema para Cabral.

O advogado Rodrigo Roca, que defende o ex-governador Sérgio Cabral, disse nesta quinta-feira que vai entrar com dois recursos contra a decisão do juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Sérgio Moro, e da juíza Caroline Vieira Figueiredo, substituta da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, que acataram pedido de transferência de Cabral para o Complexo Médico Penal em Pinhais (PR), onde estão vários presos da Lava-Jato. Ele já foi condenado duas vezes pela Justiça Federal do Rio e uma pela Justiça Federal de Curitiba.

De acordo com Moro, "é de interesse público retirá-lo do Estado do Rio de Janeiro para romper ou dificultar seus contatos com os anteriores parceiros criminosos".

O Ministério Público Federal acusa a direção de conceder privilégios a Cabral durante sua prisão e ajuizou ação civil pública pedindo transferência. No despacho, Moro menciona que pode reexaminar a questão após a manifestação dos advogados de Cabral.

MPF pede transferência de Cabral do RJ para Curitiba
MPF pede transferência de Cabral do RJ para Curitiba

Os promotores do Ministério Público do Estado pediram também que o secretário de Administração Penitenciária (Seap), coronel Erir Ribeiro, seja afastado do cargo, assim como outros cinco servidores da pasta: Sauler Antonio Sakalen, subsecretário da Seap; Alex Lima de Carvalho, inspetor de Bangu 8; Fernando Lima de Farias, subdiretor de Bangu 8; Fábio Derraz Sodré, diretor do presídio de Benfica; e Nilton Cesar Vieira da Silva, subdiretor do presídio de Benfica.

Procurada, a Seap afirmou que só vai se pronunciar quando for notificada.

A primeira transferência do ex-governador Sérgio Cabral ocorreu no dia 10 de dezembro de 2016. Somente na manhã de sexta-feira, deve ser encaminhado ao presídio. O magistrado considerou, em liminar, que não havia fundamentos suficientes para comprovar que o ex-governador tenha recebido regalias no período em que permaneceu preso em Bangu e determinou que ele deveria voltar à cidade para permanecer próximo à família.

Em outubro, o juiz Marcelo Bretas, do Rio, havia autorizado a transferência do ex-governador para Mato Grosso do Sul. Segundo a decisão, não havia justificativa para transferir Cabral para um presídio no Mato Grosso do Sul, conforme havia determinado Bretas.

Notícias relacionadas: