Só vacina padrão dá certificado para viagem internacional, diz Anvisa

Vacina fracionada da febre amarela não vai valer para quem for viajar

"Não será emitido CIVP, em hipótese alguma, para quem apresentar comprovante de vacinação com etiqueta referente a dose fracionada", diz nota da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O aviso, no entanto, é para chamar a atenção da população que mora nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia, onde o Ministério da Saúde anunciou na terça-feira (9) que serão adotadas as doses fracionadas para ampliar a adesão do público. O objetivo é aumentar a cobertura vacinal diante do avanço da doença em algumas regiões do País, como a região metropolitana de São Paulo, que confirmou as primeiras mortes pela doença na semana passada. Portanto, a orientação é que os viajantes apresentem um comprovante de viagem no momento de se vacinar para que assim possam receber a dose padrão da vacina.

Para atingir a proteção esperada, as vacinas precisam ser aplicadas com antecedência que, segundo a Anvisa, pode variar entre 10 dias e seis semanas. A decisão, segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, foi tomada mediante recomendação e autorização da Organização Mundial da Saúde (OMS). A pasta garante que a mesma dose poderia ser aplicada em até cinco indivíduos, mas o governo irá trabalhar com uma margem de segurança.

Trata-se da divisão da dose antes aplicada: a dose padrão contém 0,5 ml e a versão dividida passa a ter 0,1 ml. Já para a dose fracionada, são aplicados 0,1mL ou 1/5 da dose padrão.

Quem já tomou a vacina, mas ainda não tem ou perdeu o certificado e pretende viajar para algum país que exija a comprovação pode conferir AQUI como emitir o documento ou a segunda via. Estudos em andamento, segundo ele, vão continuar a avaliar a proteção da dose fracionada posterior a esse período.

Notícias relacionadas: