Governo admite limite de 30 km/h nas localidades

Governo admite limite de 30 km/h nas localidades

Sobre esta possibilidade, Telmo Correia, dirigente e deputado do CDS-PP considerou, em declarações citadas pela Agência Lusa, que "não faz sentido nenhum" fixar os limites em 30 km por hora, o que favorece uma "caça à multa desenfreada". Para esta o ministro defende a redução da velocidade para 30 km/h em zonas habitacionais.

Justificando as medidas, Eduardo Cabrita lembrou que o número de acidentes mortais com motociclos aumentou em 2017 e que mais de metade das vítimas mortais em acidentes de viação registou-se dentro das localidades, em consequência de "um número significativo" de atropelamentos.

Eduardo Cabrita Ministro da Administração interna disse, durante uma entrevista a Maria Flor Pedroso da Antena 1, "Temos de repensar aquilo que foi uma decisão que nos suscitou as maiores dúvidas, que foi a dispensa de qualquer formação para quem, tendo uma carta de ligeiros, possa comprar uma mota até 125cc e imediatamente sair para a estrada".

A Prevenção Rodoviária Portuguesa indicou, há poucos dias, que o aumento da sinistralidade rodoviária grave em 2017 - mais de 500 pessoas morreram nas estradas portuguesas - está "exclusivamente concentrado" nos motociclos.

O Governo socialista quer introduzir diversas alterações ao código da estrada.

Além disso, o Governo quer tornar obrigatória a carta de condução para quem conduzir motociclos de 125 cm3 de cilindrada, mesmo que tenha já carta de automóvel, e vai repensar os mecanismos de inspeção das motas.

Notícias relacionadas: