Preço do petróleo sobe para máximos de finais de 2014

Reservas de petróleo dos EUA registam descida de 4,9 milhões de barris

No entanto, o barril chegou a ser cotado a US$ 69,37 pela manhã, atingindo o maior valor desde maio de 2015 e ficando próximo dos preços registrados em 2014, pouco antes do colapso do petróleo.

Na quinta-feira, o barril de petróleo Brent fechou no mercado de futuros de Londres a 69,26 dólares, mais 0,08% do que no fim da sessão anterior. Jakob também aponta que a tensão em torno do acordo nuclear entre Estados Unidos e Irã, com a possibilidade do governo americano voltar a impor sanções ao país, também contribuiu para a alta. O Brent subiu em quase 10% do final de novembro para cá.

As reservas de petróleo dos Estados Unidos registaram uma diminuição de 4,9 milhões de barris na semana passada, para 419,5 milhões de barris.

Durante a sessão de quinta-feira o barril de petróleo cotou-se acima da barreira dos 70 dólares pela primeira vez desde dezembro de 2014.

Analistas, como Carsten Fritsch, do Commerzbank, disseram que as altas recentes de preços não se alinham aos fundamentos do mercado e acarretam o risco de "supercompensação".

Uma queda das reservas norte-americanas maior do que a esperada pelos analistas impulsionou pelo terceiro dia consecutivo o preço do Brent.

De acordo com dados do Instituto Americano do Petróleo, a expectativa é que a redução nos estoques do país atinja a casa dos 11 milhões de barris. Isso solaparia os esforços dos produtores mundiais para restringir a produção e reduzir os estoques internacionais.

Notícias relacionadas: