Messi pediu-me para não fazer vídeos, porque ficavam chocados

AFP  DAMIEN MEYER

O defensor francês foi diagnosticado com um câncer no fígado e teve que passar por intervenção cirúrgica para se recuperar da grave doença.

A certa altura, recordando também os seis anos passados em Camp Nou, Abidal salientou a disponibilidade que Dani Alves mostrou para lhe dar parte do fígado ("Estava a falar a sério, mas não pude aceitar porque também tinha uma carreira e uma família", explicou) e contou um episódio para falar da tristeza sentida por Messi. No entanto, durante entrevista ao Canal + , o lateral-esquerdo revelou como foi a reação de Messi e alguns companheiros da época de Barcelona. Fiz um vídeo antes de uma partida para animá-los. Para que eu não enviasse mais coisas assim, porque afetava a equipe toda. "Não nos mandes mais coisas destas, faz-nos mal. Eu não me via assim tão mal, via-me bem e disse-lhes para ganharem ânimo mas eles responderam-me que parecia um cadáver", refere o francês durante uma entrevista a Oliver Dacourt no Canal Plus francês.

Porque há um maior à vontade, porque existe uma outra confiança, porque sabem melhor do que ninguém do que falam.

Thierry Henry, no entanto, foi um dos poucos companheiros que teve coragem de ver a situação física do lateral durante o tratamento e foi visitá-lo no hospital.

"Quando vi o 'Titi', chorei como uma criança. Não queria que ele me visse assim, mas, ao mesmo tempo, gostava que ele vinha me ver", relembrou.

Abidal conta que depois da primeira operação a dor era "insuportável", como se "fosse um vulcão" e que a tem "gravada para a vida". Quando o médico me disse que eu deveria operar de novo, fiquei feliz. "Foi um sofrimento que não desejo a ninguém", frisa.

Notícias relacionadas: