Menino chinês enfrenta inverno rigoroso para frequentar aulas — Ice Boy

Menino chinês enfrenta inverno rigoroso para frequentar aulas — Ice Boy

A sua professora - que tirou a fotografia - decidiu denunciar o caso nas redes sociais, levando milhares de pessoas a oferecer ajuda, nomeadamente roupas quentes, à criança. O pequeno estudante só chegou assim para a aula pois teve que caminhar 4,5 quilômetros até a instituição, com temperaturas que chegavam a 9 graus negativos. É um dos meninos que vive na localidade de Zhaotong, na zona rural da província de Yunnan, no sul da China. Mas, embora sempre chegue ao colégio um pouco molhado devido à neve, ele nunca falta às aulas. Duas imagens foram tiradas no dia 8 de janeiro e enviadas aos diretores da escola, sendo rapidamente repercutida nas redes sociais com a hashtag #IceBoy.

A redução da pobreza tem sido uma das principais iniciativas do presidente Xi Jinping desde que assumiu o cargo, em 2012. Por trás do menor com as roupas úmidas, é possível ver como outros garotos, colegas dele no terceiro ano do primário, riem do seu aspecto. Wang vive com a avó e uma irmã numa casinha feita de barro e tijolo - quase igual às casas de pau a pique existentes no Brasil. A mãe da criança abandonou a família e o pai trabalha em uma cidade longe.

A história de um menino de 7 anos da China, tornou-se viral quando ele contou o que enfrenta todos os dias para estudar. Na China, Fuman integra o grupo das "crianças abandonadas", aquelas que não vivem com os pais porque eles trabalham em municípios distantes de suas casas. Outras imagens compartilhadas nas redes mostram as mãos do menino enrugadas e inchadas. "Wang caminha todo dia uma hora e meia, a uma temperatura de nove graus negativos". O diretor da escola disse que o menino é ótimo aluno em matemática e tira notas altas.

Notícias relacionadas: