Igrejas são atacadas no Chile em protesto contra visita de papa Francisco

Papa Francisco visita o Chile na semana que vem

Três igrejas católicas foram atacadas com artefatos explosivos nesta sexta-feira (12) em Santiago, encontrando-se em seus arredores panfletos e grafites contra a visita do papa Francisco, cuja popularidade no Chile é a mais baixa da América Latina.

A reunião será celebrada no último dia de sua visita ao Chile, na cidade de Iquique, ao norte, antes de sua partida para o Peru, onde permanecerá até 21 de janeiro.

Na cerimônia de apresentação realizada em Santiago estavam presente o Núncio Apostólico, Ivo Scapolo, o Secretário Geral da Conferência Episcopal, Monseñor Fernando Ramos, o Coordenador Nacional da Visita do Papa ao Chile, Javier Peralta, e o Diretor da Comissão Presidencial, Benito Baranda. Em um deles, lê-se: "Papa Francisco, as próximas bombas serão na sua batina".

A igreja Emmanuel de Recoleta também teve danos em suas portas e janelas, assim como a paróquia Cristo Vencedor, em Peñalolén. "Pelos pobres, morremos em nossas aldeias". "O problema não é a fé, mas sim, os milhões que são gastos com a fé", escreveu Miranda, candidata em 2013 pelo Partido Igualdade.

A Polícia Civil (PDI) investiga se os ataques foram levados a cabo por algum grupo. A suspeita recai sobre organizações anarquistas. "Vamos receber o papa Francisco com alegria e paz".

Os atentados "têm semelhanças, mas não necessariamente estão relacionados uns com os outros", afirmou o subsecretário de Interior e Segurança, Mahmud Aleuy, confirmando que "o governo apresentará uma ação nas próximas horas por infração à lei de armas" após visitar dois dos três templos atacados. Serão utilizados carros, motos, drones, helicópteros e agentes a pé.

"Em uma democracia, podemos nos expressar, desde que de maneira pacífica e adequada", disse a presidente Michelle Bachelet, criticando os protestos contra o papa Francisco e classificando-os de "estranhos". Estão previstos 18 mil funcionários de segurança, sendo 9,5 mil somente em Santiago.

Notícias relacionadas: