Ex-refém do Talibã no Paquistão é julgado por agressão sexual

Joshua Boyle, que em outubro passado foi libertado juntamente com a mulher e os três filhos, após cinco anos reféns dos talibãs no Afeganistão, foi detido pela polícia de Ottawa, Canadá, por suspeita de 15 crimes, incluindo agressão sexual.

O canadiano e a sua mulher, a norte-americana Caitlan Coleman, foram sequestrados por um grupo ligado aos talibãs (Haqqani), em 2012, quando viajavam pelo Afeganistão.

A mulher, Caitlan Coleman, estava grávida de mais de seis meses na altura.

"Pode se dizer muito pouco no momento" sobre o caso, declarou à AFP Eric Granger, advogado de Joshua Boyle, ao assinalar que não recebeu qualquer prova contra seu cliente.

Ao todo, e segundo noticia a radiotelevisão canadiana CBC, Boyle soma oito queixas de agressão, duas de abusos sexuais, duas de sequestro, uma de ameaças, outra por destruição de património e uma última acusação de administração de substâncias nocivas. Nenhuma das alegações foi comprovada no tribunal.

De acordo com os media, existem duas alegadas vítimas em todos os casos, mas a identidade não foi revelada por o processo se encontrar em segredo de justiça. "O Sr. Boyle é inocente até provado o contrário". Ele nunca esteve com problemas antes.

"Ainda nenhumas provas foram apresentadas, que é típico nesta fase. Estamos ansiosos por receber as acusações e defendê-lo".

Notícias relacionadas: