Defesa Civil contabiliza mais de mil pessoas desalojadas após chuvas

Secom SC

Uma menina de 8 anos morreu e a irmã dela de 13 ficou ferida em São João Batista, na Grande Florianópolis, depois de uma árvore cair em cima do telhado da garagem na quarta.

Ao longo desta sexta-feira a prefeitura de Florianópolis também mobilizou equipes e limpeza para remover resíduos que estavam sobre pistas e calçadas, como restos de vegetação, entulhos e móveis que se acumularam após a enxurrada.

O último boletim foi divulgado às 7h desta sexta. Até o momento, três pessoas morreram em decorrência dos desastres e uma está desaparecida. Testemunhas dizem ter visto ele sendo arrastado pela correnteza. A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros confirmaram que a rua estava bastante alagada.

Em relação aos deslizamentos de terra, as duas principais rodovias de acesso na cidade estão interditadas após terem problemas de tubulação. Além disso, o município solicitou o cancelamento dos eventos programados para esta quinta.

Quem precisa de abrigo pode procurar os dois espaços disponíveis pela Prefeitura - a Escola Donícia Maria da Costa, no bairro Saco Grande, e a Passarela Nego Quirido, no Centro. "Como tá chovendo intensamente, nossa preocupação é que possa ocorrer deslizamento, como o solo já tá encharcado, estamos prevenindo", orienta Carmo Dias, coordenador da defesa Civil. No bairro Itacorubi, um prédio foi inundado e os carros que estavam no estacionamento ficaram encobertos após um rio transbordar. No sul da Ilha, moradores tiveram suas casas alagadas e contabilizam prejuízos em bairros como Rio Tavares e Campeche. No Ratones, norte da Ilha, uma ponte caiu e moradores ficaram ilhados. As chuvas intensas aprofundaram um buraco na rodovia SC-401, que faz a ligação entre o litoral norte e o centro. Deinfra já trabalha no local.

No continente, há registro de dois deslizamentos em Biguaçu. Também disse que vai tentar buscar recursos com a União para os reparos imediatos.

Em alguns locais, o acumulado de chuva em 24 horas, entre o meio da manhã do dia 10 e o meio da manhã desta quinta-feira, 11 de janeiro, superou os 200 mm, pela medição do Epagri-Ciram, órgão de monitoramento ambiental, meteorológico e agrícola do governo de Sana Catarina.

Segundo a Defesa Civil, a recomendação é que as pessoas evitem sair de casa.

Um dos casos mais graves relatados durante a madrugada pelo Corpo de Bombeiros de Balneário Camboriú foi o desaparecimento de um homem de 34 anos e em um bueiro na Avenida do Estado, próximo à divisa com Itajaí. "Seguiremos em alerta até que não haja mais previsão de chuva", falou o diretor da Defesa Civil, Fabrício Melo.

As chuvas constantes que atingiram Imbituba e a região desde a terça-feira, provocaram alagamentos e problemas da drenagem pluvial, causado pelo grande volume de água. A Defesa Civil emitiu alerta de deslizamentos para Florianópolis, Gov. Celso Ramos, Itapema, Penha, São José, São Francisco do Sul, Baln.

Notícias relacionadas: