Fernando Segovia diz que PF vai concluir Lava Jato neste ano

A presidente do STF Cármen Lúcia e o diretor-geral da Polícia Federal Fernando Segovia reunidos hoje no Supremo Tribunal Federal

À época do acidente, Teori era o relator dos processos da Lava Jato no Supremo e está em vias de homologar os acordos de delação premiada de executivos da construtora Odebrecht - o que acabou sendo feito pela presidente Cármen Lúcia.

A declarações foram dadas após reunião com a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia.

Ele afirmou que a meta estabelecida é para até o fim desse ano.

Ele informou ter efetivado a partir desta quarta-feira o aumento de nove para 17 no número de delegados dedicados exclusivamente a cerca de 200 investigações policiais que tramitam no STF. "A gente espera no menor prazo possível concluir essas investigações". Valeixo também reforçou que, por conta dos novos inquéritos, a força-tarefa da Lava Jato no Paraná deve receber mais membros neste primeiro semestre de 2018. Recentemente foram enviados outros 53 procedimentos do Supremo para a décima-terceira Vara, do doutor Sergio Moro, que resultaram em novos inquéritos e apuracões. "A nossa meta é concluir todos os inquéritos hoje que estão no STF até o final deste ano", afirmou Segovia. Não são só inquéritos relativos à Lava Jato, são mais de 200 inquéritos hoje no STF, metade relativo à Lava Jato. Ao ser perguntado se a conclusão dos inquéritos inclui também as investigações contra o presidente Michel Temer, Segovia disse que sim.

Notícias relacionadas: