Eunício decide votar orçamento e ameaça reforma da Previdência

Rafaela Felicciano  Metrópoles

O presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), quer votar ainda nesta quarta-feira o Orçamento da União de 2018 no plenário do Congresso, o que poderia levar parlamentares a deixar Brasília antes de o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciar se vota a reforma da Previdência na Câmara no dia 19 ou apenas em fevereiro.

Como o relatório está em discussão na Comissão Mista de Orçamento (CMO), a tramitação teria que ser acelerada e o texto ficaria sem votação no colegiado.

No início da semana, o presidente Michel Temer fez um apelo para que Eunício deixasse a votação do Orçamento para a próxima semana. Dessa forma, seria "puxado" diretamente para o plenário. Apesar de as votações em Casas separadas - Congresso e Câmara -, e o Legislativo poder trabalhar pela Constituição até dia 22, os opositores à reforma da Previdência pretendem usar esse discurso de esvaziamento. É o que deseja Eunício Oliveira (PMDB-CE), presidente do Senado e do Congresso. Os governistas, porém, passaram a avaliar que não conseguirão reunir os votos mínimos necessários (308) para aprovar a matéria até a semana que vem.

"A onda está crescendo, a gente só não sabe se vai ser tão grande quanto a gente precisa", afirmou Padilha.

O novo articulador do Planalto disse que, caso houvesse mais três semanas de atividades parlamentares neste ano, apostaria na aprovação da reforma, mas, com o prazo disponível, é difícil fazer previsões.

Notícias relacionadas: