Vazador do vídeo de William Waack posa em bancada da Globo

'Tem que doer', diz diretor da Globo sobre castigos a Waack e Mayer

"Para ser respeitoso com o que você é e com o que pretende ser, tem que doer quando precisa doer", respondeu Valente, à publicação, ao ser questionado sobre os afastamentos ocorridos neste ano.

Como diretor de comunicação, Valente é responsável pela imagem da Globo e, consequentemente, por dar respostas rápidas em situações que podem comprometê-la, como as que envolveram Mayer e Waack.

Em abril, o ator José Mayer foi suspenso após ser acusado de assédio sexual pela figurinista Su Tonani. Nisso, o apresentador do Jornal da Globo chegou a ser afastado de suas funções na casa por tempo indeterminado. Segundo o colunista Ricardo Feltrin, do UOL, o motivo foi que Diego Rocha, ex-funcionário da Globo que disse ter gravado e vazado o vídeo que exibia William Waack fazendo um comentário racista, entrou na emissora sem ser notado.

Segundo a coluna apurou, a Globo está fazendo uma varredura para descobrir quando e quanto tempo Diego ficou na emissora, por onde andou, quem facilitou ou autorizou sua entrada e, pior, quem foi que o fotografou dentro da redação posando na bancada. "E a gente só vai conseguir isso sendo respeitoso", afirma Valente. Na gravação, realizada nos bastidores de uma cobertura jornalística em 2016, Waack xinga um motorista por buzinar na rua e afirma que a atitude "é coisa de preto". Não citados nominalmente como pilares, o empoderamento feminino e a luta contra o racismo foram temas frequentes na festa. Mesmo que elas doam.

Notícias relacionadas: