Médica proíbe que jogadores façam sexo antes das partidas e gera polêmica

Decisão do Liverpool deixa BBC em choque

Nesta quarta-feira (06/12), com boa atuação de Firmino, que fez um gol e deu assistência para um dos gols de Philippe Coutinho, os Reds golearam o Spartak Moscou por 7 a 0 e avançaram para as oitavas de final em primeiro lugar do Grupo E. O atacante da seleção brasileira marcou cinco gols nos últimos quatro jogos da equipe. A equipe do treinador Massimo Carrera, no entanto, recebeu uma recomendação da médica responsável pelo time que deu o que falar.

A cardiologista Victoria Gameeva proíbe os jogadores do Spartak Moscovo de ter relações sexuais dois ou três dias antes de um jogo importante.

"Do ponto de vista médico, o sexo apenas estimula a habilidade de trabalhar nas mulheres".

Para defender sua explicação, ela ainda deu exemplos. Mas isto funciona de forma inversa nos homens. "Nos homens funciona ao contrário", diz ela em entrevista à 'Russian TV'.

Gameeva, para além de cardiologista dos jogadores da Spartak Moscovo, tem também uma base de "fãs" significativa no Instagram - 39 mil seguidores -, onde publica fotografias dos seus treinos, de sessões fotográficas e do seu quotidiano.

Notícias relacionadas: