Cármen Lúcia cobra dos tribunais planilhas com salários de juízes

Cármen Lúcia ultimato do CNJ

Até ontem, entretanto, entre todos os tribunais em atuação em Alagoas, apenas o Regional Eleitoral (TRE) havia cumprido com a obrigatoriedade. "Eu entreguei a todos uma planilha no dia 20 de outubro".

Segundo a juíza, os tribunais não estão cumprindo a ordem de divulgar informações completas sobre o salário dos magistrados. "Até hoje [segunda], dia 4 de dezembro, não recebi as informações de novembro e dezembro", disse a ministra.

A presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, cobrou dos presidentes dos Tribunais de Justiça (TJs) o cumprimento da determinação para o envio ao CNJ dos dados referentes à remuneração dos magistrados de todo o país. O prazo de 48h foi estabelecido em reunião com os presidentes dos Tribunais de Justiça (TJs), na segunda-feira.

"Quero terminar o ano mostrando para a sociedade que não temos nada para esconder", justificou Cármen posteriormente. Ela afirma que testou pessoalmente alguns sites das cortes para testar o nível de transparência e disse ter ficado "horrorizada" quando teve que passar por pelo menos 18 "cliques" para conseguir encontrar a lista com as informações. Na Justiça Federal, apenas o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (São Paulo e Mato Grosso do Sul) mandou informações.

Ao todo, dezesseis tribunais de justiça, treze tribunais regionais eleitorais, onze tribunais regionais do trabalho, um tribunal regional federal e um tribunal de justiça militar informaram as remunerações de magistrados.

À medida que os demais tribunais enviarem seus dados, de acordo com o modelo unificado e padronizado pelo CNJ, as informações serão também publicadas.

Notícias relacionadas: