Após protesto, indígenas se reúnem com advogada-geral da União em Brasília

Um grupo de aproximadamente 90 indígenas ocupou, na manhã desta quarta-feira, 6, a sede da Advocacia-Geral da União (AGU).

O Parecer 001/2017 defende que os órgãos da administração pública devam aplicar a tese do marco temporal e as condicionantes estabelecidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), por ocasião do julgamento do marco da terra indígena Raposa Serra do Sol. Um documento com a posição dos povos foi entregue e, de acordo com a AGU, será avaliado.

Lindomar Terena, do Mato Grosso do Sul, estava no protesto e participou do encontro com Grace Mendonça.

Os indígenas também argumentam que o marco temporal inviabiliza a demarcação de terras que ainda não tiveram seus processos finalizados.

Segundo o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), os representantes apresentaram documentos questionando o parecer e a ministra se comprometeu a analisá-los.

Notícias relacionadas: