Chester Bennington: autópsia indica consumo de ecstasy e álcool

Chester Bennington

A autópsia de Chester Bennington, líder do Linkin Park, apontou que o cantor não estava sob influência de drogas. Sabe-se ainda que foram realizados cerca de três testes toxicológicos e que apenas um, nomeadamente o correspondente a ecstasy, é que deu positivo.

O músico cometeu suicídio ao se enforcar e agora, quase cinco meses depois da morte de Chester, o resultado da sua autópsia foi revelado pelo site TMZ.

Outro detalhe importante dá conta que foram encontrados vários pedaços de unhas de Bennington por baixo do telemóvel e ainda em cima da mesa. A mulher de Chester, Talinda, disse às autoridades que ele costumava roer as unhas quando estava ansioso.

Apesar de não ter deixado uma nota de suicídio, as investigações concluíram que Chester tinha um "historial" de desejos em querer tirar a própria vida.

Descarregue a nossa App gratuita.

Notícias relacionadas: