Os irmãos Winklevoss se tornam os primeiros bilionários — Humilhados e exaltados

Reprodução  Bitcoin

Os dois irmãos que processaram Mark Zuckerberg, alegando que o empresário roubou o conceito do Facebook, são oficialmente os primeiros bilionários de bitcoin, segundo informações do The Telegraph.

A tacada certeira começou em 2013 quando os irmãos Winklevoss compraram 1% da oferta total de bitcoins por US$ 11 milhões (9,2 milhões de euros), usando parte da indemnização de 65 milhões de dólares (54,8 milhões de euros) que ganharam do dono da maior rede social do mundo. Em janeiro de 2017, uma bitcoin era vendida por menos de 900 euros.

Com a recente valorização que levou a cotação da moeda virtual a superar US$ 11,8 mil no último domingo, 3, as moedas que eles têm em conjunto superaram US$ 1 bilhão em valor. "Os gêmeos Winklevoss não são os primeiros bilionários de Bitcoin". Na época, a criptomeda valia cerca de US$ 120.

Além dos Winklevoss, é possível que outra pessoa tenha uma fortuna superior a US$ 1 bilhão em bitcoins: o inventor da moeda virtual, que usa o pseudônimo de Satoshi Nakamoto.

Em entrevista à CNN, em 2015, Tyler Winklevoss falou do potencial de ganho da moeda virtual.

Os gémeos descrevem a bitcoin como um ativo melhor do que o ouro.

Após a disputa judicial com Mark Zuckerberg, que foi retratada nas telas do cinema no filme A Rede Social, os gêmeos Winklevoss se tornaram investidores de risco e fundaram a Winklevoss Capital. Além disso, eles também são conhecidos por terem representado os Estados Unidos na canoagem nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008.

Notícias relacionadas: