Descontado o setor de alimentos, indústria cresceu 1% em outubro

Produção cresce em 15 dos 24 ramos pesquisados em outubro ante setembro, diz IBGE

A produção industrial brasileira fechou o mês de outubro com crescimento de 0,2% frente setembro, no reajuste sazonal. Este é o segundo resultado positivo seguido, totalizando alta de 0,6% em dois meses. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o crescimento registrado em outubro deste ano foi ainda maior e chegou a 5,3%, sendo o mais elevado neste tipo de comparação desde abril de 2013. Acompanhe na reportagem de Ícaro Matos.

Nos dez primeiros meses de 2017, a subida acumulada somou 1,9% enquanto nos últimos doze meses avançou 1,5%.

A produção ficou estável em relação ao mês anterior, quando o indicador havia crescido 0,3% em relação a agosto -o IBGE revisou o dado, de 0,2% para 0,3%. É o segundo mês consecutivo de variação positiva.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a expansão, segundo o IBGE, foi de 5,3%.

Setores. produção industrial cresceu em 15 dos 24 ramos pesquisados na passagem de setembro para outubro, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na passagem de setembro para outubro, a produção da indústria de bens de capital cresceu 1,1%. Já o crescimento de bens intermediários eliminou o avanço de 0,7% verificado em setembro.

Em relação aos bens duráveis, a pesquisa indicou queda de 2% em outubro.

De acordo com o gerente da pesquisa, André Macedo, é preciso, no entanto, relativizar o crescimento dos farmoquímicos e farmacêuticos, que têm apresentado um comportamento oscilante: "A produção farmacêutica está entre as atividades que mais influenciaram negativamente a indústria".

Também contribuíram positivamente a confecção de artigos de vestuário e acessórios (4,3%), a metalurgia (1,6%), as máquinas e equipamentos (1,3%) e os artefatos de couro, artigos para viagem e calçados (3,8%).

Notícias relacionadas: