Bruno Gagliasso sobre racismo contra Titi: "É agressivo"

Bruno Gagliasso emociona-se ao comentar caso de racismo contra a filha

A pequena Titi tem apenas 4 anos e foi acometida por uma série de ataques racistas, inclusive por Day McCarthy que postou um vídeo nas redes sociais elencando que as mesmas pessoas que sempre a criticaram pela sua aparência, ou seja, não tem os olhos azuis e tampouco o nariz fino, hoje são as mesmas que acessam o Instagram de Gagliasso e Ewbank e fazem elogios à filha do casal.

Entretanto, o caso já está a ser tratado pelas autoridades, sendo que as investigações continuam a decorrer.

Visivelmente emocionados, os dois falaram sobre como estão se sentindo com tudo isso e como a questão foi levantada dentro da casa deles: - Eu não tinha ideia (de como era o racismo no Brasil). "É muito. agressivo. Machuca e a gente só sente isso quando está dentro da nossa casa", observou ao ser questionado sobre o assunto. "A gente se sente meio correndo contra o tempo para conseguir as ferramentas necessárias para criar a nossa filha em um país racista", disse. McCarthy foi indiciada por crime de injúria racial depois do ocorrido.

Bruno Gagliasso ficou bastante emocionado ao falar sobre racismo na edição do último domingo (3) do "Fantástico", da Globo.

"Hoje ela não sabe, mas quando ela tiver idade ela vai entrar na internet e vai saber". "Estávamos despreparados para o que vinha. Nunca de fato vou sentir na pele o que é o racismo, mas minha filha é negra", declarou Bruno, que prestou queixa contra Day no dia seguinte ao ataque. Sua esposa completa: "São coisas que eu nunca enxerguei e estou enxergando agora".

Giovanna lamentou ter demorado 31 anos para "enxergar" o racismo e suas consequências, assim como o parceiro. O assunto fez Bruno Gagliasso fazer uma retrospectiva: "Por que eu não ajudei?"

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Notícias relacionadas: