Relator de apelação de Lula concluiu voto; julgamento não tem data

Julgamento de Lula na 2ª instância deve ocorrer entre março em abril

O conteúdo do processo é desconhecido, já que tramita em segredo de justiça. Contudo, em caso de condenação, os desembargadores podem decretar execução imediata da pena.

"Entre os crimes de corrupção e de lavagem, há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a nove anos e seis meses de reclusão, que reputo definitivas para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva", escreveu Moro no despacho.

Leia a notícia na íntegra no site do Estadão.

O desembargador João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre, finalizou seu voto na última sexta-feira, conforme apurou VEJA. As informações são do jornal Zero Hora.

Agora, o revisor fará o mesmo trabalho e, após concluí-lo, passa para o próximo desemargador, que também elabora seu voto e marca o dia do julgamento, previsto para 2018.

Revisor da Lava Jato no TRF-4, Leandro Paulsen, examina o processo e elabora seu voto. Pelos trâmites internos, Paulsen irá vistoriar o voto do relator, preparar seu próprio voto e encaminhar ambos para o terceiro membro do colegiado, Victor Luis dos Santos Laus. O julgamento refere-se a recurso impetrado pelo petista contra a condenação, em primeira instância, a nove anos e meio de prisão por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.

Moro entendeu que o apartamento foi dado a Lula como pagamento de propina pela empreiteira OAS em troca de três contratos com a Petrobras em obras nas refinarias Repar (no Paraná) e Abre e Lima (Pernambuco).

Notícias relacionadas: