Cresce casos de HIV e Estado intensifica ações no combate à AIDS

NARENDRA SHRESTHA  EPA

A maior concentração de infectados estão na faixa etária de 20 a 24 anos com média de 33,1 casos para cada 100 mil habitantes.

O documento mostra que, ao permitir que os homens permaneçam livres do HIV, façam o teste regularmente e, caso sejam diagnosticados soropositivos, comecem e permaneçam em tratamento, os benefícios não irão apenas melhorar os resultados da saúde masculina, mas também contribuirão para diminuir as novas infecções por HIV entre as mulheres e meninas e alterar normas prejudiciais de gênero. Já a transmissão mais comum que existe hoje em dia do HIV, é a transmissão sexual.

Da década de 1980 até os dias atuais, o tratamento da aids evoluiu e abriu caminhos para deter a progressão da doença e proteger os pacientes de infecções oportunistas - aquelas que tiram vantagem da fraqueza do sistema imunológico de quem convive com os efeitos do HIV, o vírus da aids.

Muitos não sabem, mas ser portador do vírus HIV e ter Aids são duas coisas bem diferentes.

As informações do relatório e os dados do Unaids revelam que 64% dos novos casos de HIV na América Latina ocorrem em homens gays, profissionais do sexo e seus clientes, mulheres trans, pessoas que usam drogas injetáveis e nos parceiros dessas populações-chave.

O teste rápido para HIV, Sífilis, Hepatite B e C está disponível no AMI (Rua Piauí, 302, Bairro Brasil), sem necessidade de encaminhamento médico, às segundas, terças, quartas e sextas-feiras, das 7h às 9h. O HIV é notificado no momento do resultado do teste, se positivo.

O município precisou comprovar, ainda, que possui uma linha de cuidado e monitoramento às gestantes, para diagnóstico, tratamento e prevenção do contágio do bebê. Além do objetivo principal, que é indetectar a carga viral e, com isso, preservar as células de defesa, o tratamento não deixa de ser também uma estratégia para controle da epidemia, já que, tornando a carga viral indetectável, se diminui o risco de transmissão. Esse indivíduo deve ser abordado de forma global, levando-se em consideração suas dúvidas, angústias, anseios, sendo acolhido e explicando a importância do acompanhamento e tratamento adequados.

Este mês, o Brasil vai adotar uma nova estratégia, a profilaxia pré-exposição.

Os procedimentos são realizados de forma segura e sigilosa.

MITO. Na terapia antirretroviral, os medicamentos são de uso contínuo.

Notícias relacionadas: