Psol, PR e Podemos expulsam deputados que votaram a favor de Picciani

Psol, PR e Podemos expulsam deputados que votaram a favor de Picciani

O senador Romário (PODE-RJ), presidente estadual da sigla e pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro, anunciou em seu perfil oficial no Facebook que a legenda abriu processo de expulsão contra os deputados estaduais Chiquinho da Mangueira e Dica, que votaram pela absolvição de Picciani e seus correligionários.

O PSOL expulsará o deputado Paulo Ramos, que votou pela liberdade de Picciani por entender que houve atropelos na investigação e que faltariam provas concretas de ilegalidade. Ambos votaram pela revogação da prisão e o retorno imediato à Alerj de Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. "Desta forma, o deputado se colocou ao lado da máfia dos transportes, das empreiteiras e de todos aqueles que saquearam o Estado do Rio de Janeiro nas últimas décadas". Ainda segundo o post de Romário, a medida de expulsão dos parlamentares tem o apoio da presidente nacional, deputada federal Renata Abreu.

"O Podemos do Rio não vai compactuar nunca com esse tipo de política antiga".

Picciani, Albertassi e Melo chegaram a passar uma noite na prisão, após terem mandados expedidos por determinação do Tribunal Regional Federal da segunda região, no Rio.

Como presidente estadual e vice-presidente nacional, eu Romário afirmo que a postura dos parlamentares vai em sentido contrário à proposta do partido, que defende a transparência e o combate firme à corrupção. "Que isso sirva de exemplo para todos que ainda praticam corrupção e outras sacanagens da política velha", afirma o senador em postagem feito ontem.

De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, o PR também pretende expulsar os deputados Renato Cozzolino e Nivaldo Mulim, por contrariarem a orientação partidária e votarem pela revogação da prisão. O trio de deputados do PMDB, porém, ficou menos de um dia na cadeia: a decisão do STF foi submetida ao plenário da Alerj, que decidiu soltar os parlamentares numa votação que teve 39 votos a favor e 19 contra.

Notícias relacionadas: