"Temos uns 40 jogadores que podem estar no Mundial" — Fernando Santos

Fernando Santos: «Todos ou quase todos vão jogar»

Fernando Santos lembra que o encontro de amanhã à noite, agendado para as 20h45, repete o caráter solidário para com as vítimas dos incêndios. Fernando Santos disse esta segunda-feira em Leiria que neste momento há 40 jogadores com hipóteses de entrar nos 23 eleitos para a Rússia.

Com algum frio à mistura, que levou mesmo Fernando Santos a começar o treino 15 minutos mais cedo, o técnico juntou Nélson Semedo, Pepe, Ricardo Ferreira e Antunes na defesa, Danilo e Manuel Fernandes no meio, Gelson Martins e Bruma nas alas e Bruno Fernandes no apoio a Gonçalo Guedes na frente de ataque. "E já disse que um jogador vai estar presente seguramente", admitiu, ainda com muitas dúvidas em relação à convocatória final para o torneio que se vai realizar na Rússia. O selecionador português disse que há um grupo vasto, de perto de 40 jogadores, que apresenta características interessantes para estar no grupo mas muitos irão ter de ficar de fora. É uma equipa com jogo mais objectivo, mais rápido.

O adversário desta terça-feira em Leiria também mereceu elogios por parte de Fernando Santos, em particular a qualidade de passe e a rapidez que consegue impor ao jogo.

Pelo facto de grande parte dos jogadores convocados não fazerem habitualmente parte das opções da selecção, Fernando Santos tem dado prioridade à "interiorização da matriz de jogo da equipa, muito através de conversas". Foram escolhidos com essa base. Não tenho nenhum compromisso para que joguem todos, mas se tiver oportunidade vão jogar todos ou muito perto de todos, se o jogo não o permitir não acontecerá. Um é do futebol asiático, de um futebol que conhecemos menos e que podemos defrontar no Mundial. "A minha ideia é ter uma equipa forte", concluiu o selecionador português.

"Os EUA são uma equipa com um jogo mais objetivo, mais rápido, tem jogadores com boa qualidade técnica, que promovem o jogo rápido. Temos de ter muita atenção, mas, estando Portugal ao seu nível e com a criatividade dos jogadores, podemos fazer um bom jogo e vencer", realçou o selecionador nacional, a quem a história dá razão.

Notícias relacionadas: