Realizador James Toback acusado de assédio sexual

Diretor e roteirista de Hollywood é acusado por 38 mulheres de assédio

O diretor norte-americano James Toback, de 72 anos, é acusado de assediar sexualmente pelo menos 38 mulheres segundo reportagem do jornal 'Los Angeles Times'.

O jornal entrou em contato com James Toback, que negou todas as acusações e afirmou que nunca as encontrou e que se realizou alguma entrevista, aconteceu rapidamente, não passando de cinco minutos. O modus operantis de Toback funcionava com ele atraindo jovens atrizes com propostas de participação em filmes para uma conversa de trabalho. Frisou ainda sofrer de diabetes e de problemas cardíacos para os quais está medicado, pelo que os actos de que é acusado seriam "biologicamente impossíveis" nos últimos 22 anos. Segundo elas, depois disso ele começava a se masturbar na frente delas.

"A forma como ele apresentava a coisa era tipo: 'É assim que as coisas se fazem'", como disse La Valley ao diário californiano sobre um encontro com o realizador em 2008. Muitas das mulheres descrevem experiências de Toback exigindo que elas se desnudassem, e dele esfregando-se contra elas até o ponto de ejaculação. "Senti-me como uma prostituta, totalmente dececionada comigo mesma", acrescentou.

" Todas querem trabalhar, então ninguém fala nada".

A professora de atuação Karen Sklaire, uma das vítimas de Toback, disse que quando mencionava sobre a humilhação que havia passado, as pessoas achavam normal.

"Quem estava na indústria cinematográfica [de Hollywood] nos anos 1990 sabia que Harvey Weinstein era um predador sexual".

No currículo, enquanto argumentista e realizador, James Toback assinou fimes como "The Private Life of a Modern Woman" - premiado este ano no Festival de Veneza, em Itália -, "Black and White", "Two Girls and a Guy?" e "Bugsy", com Warren Beatty, que lhe valeu uma nomeação para um Óscar pelo guião. As acusações incluem assédio, abuso sexual e estupro.

Responsável por algumas das campanhas mais agressivas em busca de estatuetas do Oscar, com mais de 300 indicações, desde a revelação dos casos Harvey foi expulso da Academia de Hollywood, do Bafta e do Sindicato dos Produtores, foi demitido de sua própria produtora e se tornou alvo de investigações policiais. Depois das denúncias, a vencedora do Oscar Lupita Nyong'o também dividiu um relato de quando foi assediada pelo produtor, no início da carreira.

Notícias relacionadas: