Nutricionistas aplaudem taxa para o sal mas querem mais medidas

Produtos com sal passam a pagar imposto

Segundo a versão preliminar, as bolachas, batatas fritas e cereais com menos de um grama de sal por cada 100 gramas de produto ficam isentos da taxa que terá um valor de 0,80 cêntimos por cada quilo de alimentos.

A bastonária da Ordem dos Nutricionistas aplaudiu a taxa prevista no próximo Orçamento do Estado para alguns alimentos com alto teor de sal, mas defendeu que deve ser acompanhada de outras medidas que incentivem bons hábitos alimentares. Neste grupo de produtos estão incluídos biscoitos, bolachas, batatas fritas, bem como os alimentos que integrem flocos de cereais e cereais prensados. Em termos de receita fiscal, a nova taxa vai render ao Estado oito euros por tonelada. O imposto deverá assim ser menos perceptível nas prateleiras dos supermercados do que a chamada sugar tax, em que a taxação por litro variou entre 15 cêntimos até 80 gramas de açúcar e 30 cêntimos para teores acima deste limiar.

O balanço do governo sobre esta medida tem sido positivo.

Em entrevista ao "JN", o secretário de Estado Adjunto da Saúde revelou que o imposto sobre as bebidas açucaradas levou a uma quebra de 25% no consumo nos primeiros seis meses do ano, num país que tem da maiores taxas de diabetes da Europa.

Também o diretor do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável acolhe positivamente a nova taxa, lembrando que "o consumo excessivo de sal é um dos principais problemas de saúde pública em Portugal".

Notícias relacionadas: